Post Roll - Paraty, um lugar para se conhecer! | Cris Magaldi

30 dezembro 2015
Olá Meus Amores, tudo bem com vocês?

Hoje é o último Post Roll em parceria com a Bmeeting e como estamos chegando no final do ano, que significa aquele recesso ou férias coletivas que muitos trabalhadores tem por direito!
Mesmo com a crise apertando os nossos bolsos, sempre tem lugares que você gasta pouco e conhece muito da cultura da cidade!


No carnaval de 2014 eu tive o prazer de conhecer Paraty e sou mais uma fã por essa cidade que se eu pudesse definir em uma palavra seria: Encantadora!


Paraty é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro
Localizado no litoral sul do estado, 
dista 258 quilômetros da capital, a cidade do Rio de Janeiro.
Fonte: Wikipédia

Tem muitas coisas para se fazer, muitos lugares para conhecer e sendo bem sincera, eu levei pouco dinheiro e me diverti muito! 

Dicas:
  1. O acesso as praias e cachoeiras a maioria é de graça ou o valor é simbólico; 
  2. A dica é alugar uma casa que não seja tão perto do Centro e você além de pagar um valor menor do que uma hospedagem, você pode comprar a comida no supermercado (tem 2 grandes) e preparar em casa mesmo; 
  3. O Centro é pequeno e você consegue conhecer tudo em 1 ou 2 dias, o restante é mais para aproveitar os passeios de barco que compensam muito, os passeios nos alambiques, cachoeiras e restaurantes próximos com comida caseira e cidades próximas, no caso visitei Trindade que foi incrível!
Minha viagem durou 5 dias, mas para conhecer tudo, acredito que 10 dias, montando um roteiro, você se diverti e não gasta muito!


Pontos turísticos (Fonte: Wikipédia)


  • Chafariz do Pedreira - à entrada da cidade, em mármore, foi iniciado em 1851 e inaugurado em 1853 pelo conselheiroLuís Pedreira do Couto Ferraz, então presidente da província do Rio de Janeiro, que, na ocasião, bebeu, em copo de ouro, as suas primeiras águas.
  • Sobrado dos Bonecos e Passos da Paixão - localizado à Rua Tenente Francisco Antônio, nele se destaca o beiral em telhas de louça. O nome dos Bonecos veio das estátuas que encimavam a sua platibanda. No prédio vizinho, existe uma capela dos Passos da Paixão, aberta apenas para as procissões da Semana Santa.
  • Antiga Cadeia Pública - atualmente, sedia a Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes do município e o Instituto Histórico e Artístico de Parati.
  • Igreja de Santa Rita de Cássia
  • Rua do Fogo - é uma das poucas ruas da cidade que conserva o seu primitivo nome. Comunica um dos vértices do Largo de Santa Rita à Rua Maria Jácome de Melo.
  • Rua Dona Geralda - Geralda Maria da Silva nasceu em Parati em 1807. Benemérita, herdou de seu pai grande fortuna, que a lenda local associa à descoberta de um tesouro de piratas.
  • Mercado do Peixe - localiza-se à beira-mar, comercializando verduras e frutas.
  • Rua da Praia - comunica o Mercado do Peixe à beira do rio Perequê-açu. Em determinadas luas, é inundada pelas águas da maré alta, que refletem o seu casario, espetáculo que atrai a atenção dos turistas.
  • Rua Fresca - outrora denominada Rua das Dores (por abrigar a Igreja de Nossa Senhora das Dores), Rua Alegre e Rua do Mar, nela, se destaca o Sobrado dos Orleans e Bragança, próximo à Igreja de Nossa Senhora das Dores.
  • Igreja de Nossa Senhora das Dores
  • Praça do Imperador
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios
  • Sobrados coloniais
  • Santa Casa de Misericórdia de Parati
  • Forte Defensor Perpétuo e Casa da Pólvora - o forte abriga o Centro de Artes e Tradições Populares de Parati.
  • Capela da Generosa - localiza-se no Beco do Propósito, à margem do Rio Perequê-açu, onde morreu afogado Teodoro, um ex-escravo liberto, que ali se atreveu a pescar em uma sexta-feira santa. Em memória do fato, uma senhora de nome Maria Generosa, aí, fez erguer a capela, sob a invocação da Santa Cruz, que recebeu o nome da benfeitora.
  • Igreja de Nossa Senhora do Rosário e prefeitura
  • Oratório de Santa Cruz das Almas - também conhecido como Oratório de Santa Cruz dos Enforcados, localiza-se no antigo caminho para o pelourinho.
  • Engenho da Muricana
  • Engenho da Boa Vista - onde residiram os avós de Heinrich e Thomas Mann. O antigo engenho a vapor adquiriu fama por suas aguardentes, como a Azulina, produzida em alambique de barro e destilada com folhas de tangerina.
  • Engenho do Bom Retiro - em 1908, a sua aguardente recebeu medalha de ouro na Exposição Nacional Comemorativa do 1º Centenário da Abertura dos Portos do Brasil.
  • Aldeias guaranis de Araponga e Paratimirim - se localizam nos arredores da cidade. Para sua visitação, é necessária uma autorização no posto da Fundação Nacional do Índio que se localiza nessas aldeias.










Tem muitas fotos, mas não dá para colocar tudo né?!haha
Mas reforço o que eu disse no começo do post: a cidade é encantadora e vale muito ir para conferir!

Uma coisa que não citei é que a cidade é bem estilo de passeio para família, ou seja, se você quer bagunça, acredito que não vai gostar muito porque vale mais a pena para passear, conhecer a história, os pontos turísticos, comer bem e descansar!



Querem mais dicas? Visitem os outros Blogs participantes e 
confira tudo que eles compartilham com vocês ;)



 www.belezaemterapia.com.br 
Ana Elisa
Insta: @belezaemterapia


www.fashionfeich.com
Fernanda Guimarães 
Insta: fashionfeich


www.estilopravidareal.com.br
Lis Silva Souza
Insta: @estilopravida


www.pamellaswinka.blogspot.com.br
Pâmella Swinka
Insta: @pamellaswinka 


www.hipotenusastyle.com
Rafael Silva

Insta: @hipotenusastyle

Nenhum comentário:

Postar um comentário